Após queda da França na Euro, Deschamps tem trabalho questionado

A eliminação da França para a Espanha na semifinal da Eurocopa colocou em xeque o trabalho do técnico Didier Deschamps. Com contrato até 2026, as fracas atuações no torneio trouxeram questionamentos ao comando do treinador.

A imprensa francesa e a torcida criticaram a falta de poder ofensivo da equipe e mostraram insatisfação com o futebol apresentado. Já com o pensamento na Copa do Mundo de 2026, nos Estados Unidos, México e Canadá, o nome de Zinedine Zidane ganhou força para o cargo.

Philippe Diallo, presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), garantiu que o treinador vai cumprir o contrato até o fim.

“Os resultados são geralmente positivos à medida em que o objetivo traçado para a semifinal foi alcançado. Nunca deveríamos banalizar o resultado. Chegar entre os quatro melhores é a demonstração de um desempenho de alto nível”, afirmou o dirigente em entrevista ao jornal L’Equipe.

Diallo considera o trabalho de Deschamps satisfatório e não vê motivo para se ventilar uma mudança no comando da seleção francesa.

“Não vejo razão para pôr em causa o seu contrato. Os resultados anteriores falam por ele e os objetivos foram alcançados. Didier continuará sua missão”, completou.

França na Eurocopa

A França começou a competição no Grupo D, ao lado de Holanda, Polônia e Áustria. Na fase de grupos, a equipe obteve uma vitória e dois empates e passou para o mata-mata como segunda colocada na chave.

Nas oitavas, a vaga veio com um triunfo de 1 a 0 sobre a Bélgica. Diante de Portugal, nas quartas de final, a Seleção Francesa confirmou sua chegada à semifinal somente na disputa de pênaltis após uma igualdade de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. Na semi, a derrota por 2 a 1 para os espanhóis decretou a eliminação dos atuais vice-campeões do mundo.

Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

Link da fonte