Exército e BNDES firmam contrato para concessão de parceria público-privada do Zoológico do CIGS, em Manaus


Contrato assinado, com duração de 36 meses, visa à concessão, via parceria público-privada, qualificada no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Zoológico do CIGS, em Manaus
Tiago Melo/G1 AM
Um contrato para estruturação e modelagem de projetos de valorização e exploração econômica do Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), em Manaus, foi firmado pelo Exército Brasileiro e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), nesta terça-feira (9).
O contrato assinado, com duração de 36 meses, visa à concessão, via parceria público-privada, qualificada no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).
O BNDES deve realizar um diagnóstico dos ativos imobiliários do Exército, avaliando serviços e necessidades de infraestrutura, e definirá o modelo de concessão que melhor contribua para a valorização do empreendimento, preparando para futura licitação pública.
A assinatura ocorreu na sede do Quartel-General do Exército, com a participação do Chefe do Estado-Maior do Exército, General Richard Fernandez Nunes, e do Diretor de Planejamento e Relacionamento Institucional do BNDES, Nelson Barbosa.
Zoológico do CIGS: um tesouro amazônico
O Zoológico do CIGS teve sua origem em 1967, a partir da necessidade de apresentar aos alunos do então Curso de Guerra na Selva (CGS) elementos da fauna e da flora amazônica, conhecimentos esses importantes na formação dos Guerreiros de Selva.
Atualmente, ocupa uma área de 45.000 m² coberta em sua maior parte de vegetação amazônica preservada e possui em seu acervo somente animais amazônicos brasileiros, contando com um plantel de mais de 1.000 animais.
O General Richard destacou a importância do zoológico para o Exército e a sociedade: “O Zoológico do CIGS atende às necessidades de conhecimento para que o nosso Combatente de Selva seja reconhecido como um dos melhores capacitado do mundo, mas também está disponível para as escolas, pesquisadores, professores e alunos de várias instituições, bem como para a sociedade em geral.”

Link da fonte