Indignação na Itália pela supressão do crime de favoritismo

A esquerda italiana e o poder judicial denunciaram, nesta quinta-feira (11), a supressão do crime de favoritismo, em um país onde os contratos públicos são frequentemente usados para lavar dinheiro da máfia.

A reforma foi promovida pelo Força Itália, partido do ex-chefe de governo e bilionário Silvio Berlusconi, falecido em 2023, e cujos negócios foram prejudicados por suspeitas de influência mafiosa.

Os seus defensores argumentam que o artigo 323 do Código Penal, que pune a adjudicação fraudulenta de contratos públicos, era como uma espada de Dâmocles pendurada sobre os funcionários, que já não ousavam aprovar contratos ou realizar projetos.



Link da fonte