Medalha de Bolsonaro prova que ultradireita é a 5ª série C – 10/07/2024 – Flavia Boggio

O ex-presidente Jair Bolsonaro entregou uma medalha ao presidente da Argentina, Javier Milei, durante o evento da extrema direita em Balneário Camboriú, Santa Catarina.

Ao redor da imagem do capitão, em papel sulfite, a medalha traz gravados os três “Is”, as palavras “imorrível, imbrochável e incomível”, em referência a como Bolsonaro se classifica.

Foi a coisa mais feia já vista em Balneário Camboriú, local já conhecido pelos arranha-céus de arquitetura duvidosa, chamada de “neocafona”.

O capitão já havia entregado a medalha ao prefeito Ricardo Nunes, o que não foi considerado, já que o prefeito de São Paulo não existe.

Também estava na cerimônia o governador de São Paulo Tarcísio de Freitas, que finge ser moderado para atrair votos, assim como finge que a privatização da Sabesp será um bom negócio para os paulistas.

Há anos que a psicanálise explica porque um homem precisa tanto comprovar que não faz sexo com outros homens. Porém, a família Bolsonaro não é conhecida pelo esforço de encontrar explicação aos fatos.

Tanto que, após a entrega da medalha, o dia continuou com uma série de eventos tão simbólicos quanto o artefato.

Assim que acabou a cerimônia, Bolsonaro chamou Milei para rabiscar no banheiro, o que explicou as centenas de “piroquinhas” desenhadas na parede. Ainda no local, o ex-presidente puxou a cueca do argentino até arrebentá-la, aplicando-lhe o famoso “cuecão”.

Em seguida, o grupo embarcou em um pequeno ônibus e caiu na gargalhada quando Milei chamou o veículo de “buseta”. Assim como quando outro conservador falou do país “Butão”.

No caminho, gritaram “maconha“, após o refrão da música “É Proibido Fumar”. Também cantaram “Xandão, vem me prender, a quinta série não tem medo de você!”. A viagem teve que ser interrompida devido a um campeonato de pum mais alto entre os passageiros.

Após uma pausa para tomar um copo de leite, entregaram ao argentino a carteirinha do “Clube do Fascistinha”, feita pelo especialista em fabricar carteirinhas falsas, Mauro Cid.

Por fim, brincaram de passa anel, com joias sauditas.

O evento acabou após um jogo de queimada, quando Bolsonaro levou a bola embora por perder a partida.

Para a próxima cerimônia, já estão planejando a entrega da próxima medalha, que também terá três “Is”, mas de “incorrigível, inelegível e indiciado”.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar sete acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Link da fonte

Ver Artigo Completo