Microsoft e Apple abandonam assentos na OpenAI – 10/07/2024 – Tec

A Microsoft desistiu de seu assento como observadora no conselho da OpenAI, e a Apple decidiu não assumir uma posição semelhante, em meio ao crescente escrutínio dos reguladores globais sobre os investimentos das big techs em startups de IA (inteligência artificial).

A Microsoft, que investiu US$ 13 bilhões (cerca de R$ 70,4 bilhões), na fabricante do chatbot de IA generativa ChatGPT, disse em uma carta à OpenAI que sua retirada do papel no conselho seria “efetiva imediatamente”.

Esperava-se que a Apple também assumisse um papel de observadora no conselho da OpenAI como parte de um acordo para integrar o ChatGPT nos dispositivos da fabricante do iPhone, o que não teria acontecido, segundo uma fonte com conhecimento direto do assunto. A Apple se recusou a comentar.

A OpenAI, em vez disso, realizará reuniões regulares com parceiros como Microsoft e Apple e investidores como Thrive Capital e Khosla Ventures —parte de “uma nova abordagem para informar e envolver parceiros estratégicos” sob a liderança de Sarah Friar, a ex-chefe da Nextdoor que foi contratada como sua primeira diretora financeira no mês passado, disse um porta-voz da OpenAI.

A medida também ocorre enquanto as autoridades antitruste da UE e dos EUA examinam a parceria entre Microsoft e OpenAI como parte de preocupações mais amplas sobre a concorrência no setor em rápido crescimento.

A Microsoft aceitou um papel sem direito a voto no conselho após o caos que envolveu a OpenAI no ano passado, quando seu CEO, Sam Altman, foi abruptamente demitido pelo conselho, antes de ser reintegrado apenas alguns dias depois. A tentativa de golpe no conselho ameaçou a avaliação da OpenAI, e com isso o investimento de bilhões de dólares da Microsoft na empresa.

“Essa posição forneceu insights sobre as atividades do conselho sem comprometer sua independência”, escreveu Keith Dolliver, vice-conselheiro geral da Microsoft, em uma carta à OpenAI na noite de terça-feira (9). Desde então, “testemunhamos um progresso significativo do conselho recém-formado e estamos confiantes na direção da empresa”. Portanto, ele disse, o papel da Microsoft no conselho não era mais “necessário”.

A OpenAI continua sendo um dos “parceiros mais valorizados” da Microsoft, acrescentou Dolliver.

A parceria com a Microsoft tem sido crucial para o sucesso da OpenAI. A startup tem contado com a Microsoft para poder de computação e armazenamento em nuvem no valor de bilhões de dólares. O CEO da Microsoft, Satya Nadella, foi um mediador chave durante a turbulência no conselho da OpenAI em novembro.

Investir na OpenAI também impulsionou a Microsoft a uma liderança precoce na corrida da IA generativa. A empresa disse em abril que estava lutando para acompanhar a demanda por seus serviços de IA, que ajudaram a impulsionar as vendas de sua plataforma de computação em nuvem Azure a uma taxa acelerada nos últimos três trimestres.

A Microsoft não possui uma participação acionária convencional na startup. Em vez disso, tem direito a uma parte dos lucros de uma subsidiária da OpenAI, até um certo limite.

De acordo com o site da OpenAI, ela “permanece uma empresa totalmente independente governada pela OpenAI Nonprofit”.

Microsoft e OpenAI minimizaram seus laços à medida que as preocupações antitruste aumentaram. A Comissão Europeia disse em junho que estava explorando a possibilidade de uma investigação antitruste sobre a parceria depois de dizer que não prosseguiria com uma investigação sob as regras de controle de fusões. A Comissão Federal de Comércio dos EUA também começou a examinar os investimentos feitos por grandes empresas de tecnologia, incluindo Microsoft, Amazon e Google, em startups de IA generativa.

Uma fonte da FTC familiarizada com o assunto disse que a medida era “improvável de resolver as preocupações da agência”.

Um porta-voz da OpenAI disse: “Somos gratos à Microsoft por expressar confiança no conselho e na direção da empresa, e esperamos continuar nossa parceria bem-sucedida.”

O conselho de oito pessoas da OpenAI inclui Altman, bem como Lawrence Summers, ex-secretário do Tesouro dos EUA, e Fidji Simo, CEO da empresa de entrega de alimentos Instacart. É presidido por Bret Taylor, ex-co-CEO da Salesforce e co-fundador da startup de IA Sierra.

Link da fonte