MP abre investigação contra prefeita que admitiu jogar livros no lixo

O livro estava numa biblioteca de Marcílio Dias, em Canoinhas. O local foi inaugurado pelo projeto Mundoteca em 19 de novembro de 2022, quando Juliana já era prefeita da cidade; Bolsonaro ainda era presidente. Ela culpou o PT e o governo federal pelo fato de as obras estarem lá.

É um programa do governo federal. Mais uma vez o governo do PT faz esse tipo de coisa. Bota adolescente, criança… induz a coisa que não é dos valores que a gente acredita. Não é o que a família quer que ele aprenda
Juliana Maciel, prefeita de Canoinhas

A Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República informou que o Mundoteca não é ação do governo. O governo federal disse que a responsabilidade de selecionar obras de acordo com a faixa etária é da prefeitura e que o governo federal ajuda apenas com incentivos da lei de Cultura.

A prefeitura em questão tinha plena autonomia sobre o acervo da biblioteca. Sendo assim, cabia aos responsáveis locais conferir se o acervo estava a contento da comunidade dentro das tratativas do contrato com o projeto Mundoteca
Nota da Secom.

Juliana Maciel negou um dia após o vídeo que o objetivo fosse causar polêmicas e se disse preocupada com as crianças. “Aqueles livros não são próprios para crianças. É a editora que diz.”

A prefeita não atendeu aos contatos do UOL para explicar quantos livros foram efetivamente jogados fora. Também não houve resposta sobre quais foram eventualmente levados a bibliotecas próprias para adolescentes, jovens e adultos, quais são as obras que revistas pelo município e por que razão não houve seleção das obras quando a biblioteca foi inaugurada. Os esclarecimentos serão publicados se forem recebidos.



Link da fonte