Streaming: seis filmes curtos para ver em família – 05/07/2024 – Ilustrada

Esta é a edição da Maratonar, a newsletter da Folha que ajuda você a se achar no meio de tantas opções de séries e filmes no streaming. Quer recebê-la todas as sextas no seu email? Inscreva-se abaixo:

O tempo em São Paulo estava frio e feio e eu lembrava do bom tédio das férias escolares de julho e de assistir à TV deitada de ponta-cabeça no sofá, quando me veio a angústia: quando acabará o nosso grande pesadelo nacional de não poder ver “Quero Ser Grande” no streaming? Qual é, chief Willoughby? E o que ver, então, enquanto a gente não puder apresentar às novas gerações os traumas infligidos a Mercedes Ruehl por Tom Hanks e Zoltar?

Juntei aqui algumas sugestões curtas —de até duas horas de duração— de filmes estilo Sessão da Tarde aos quais eu mesma assistiria algumas vezes em loop com as crianças antes de ter vontade de jogar a televisão pela janela. No ano passado, listei alguns desenhos animados aqui.

Um aviso: os filmes mais velhos talvez não tenham resistido 100% ao tempo, mas todos têm indicação livre, exceto onde anotado. Todos têm versões dubladas disponíveis nos respectivos streamers.

“As Aventuras de Paddington” (2014) e “As Aventuras de Paddington 2” (2017)

Novos clássicos do cinema infantil, situados em um mundo em que a gentileza e o cuidado com os outros são as melhores armas para enfrentar qualquer problema. O urso Paddington (dublado pelo delicado Ben Whishaw) emigra do Peru para Londres em busca de um explorador que anos atrás ensinou seus tios, Lucy (Imelda Staunton) e Pastuzo (Michael Gambon), a falar inglês e comer marmelada. Acaba adotado por uma família carinhosa —os Browns— e sua vizinhança.

O segundo filme é em geral mais bem avaliado (tem um número musical com Hugh Grant, afinal), mas o primeiro é excelente também, com uma ótima vilã de Nicole Kidman. Um terceiro filme estreia em 2025 e já tem trailer.

“Paddington”. Netflix, 96 min.

“Paddington 2”. Prime Video, 104 min.

“Super Escola de Heróis” (2005)

Imagine-se o filho dos dois maiores super-heróis do mundo, o Comandante (Kurt Russell) e a Super-Jato (Kelly Preston). E imagine-se um adolescente cheio de hormônios e inseguranças que, apesar de sua família, ainda não descobriu seus próprios superpoderes. Esse é o pobre Will (Michael Angarano), que começa o super-ensino médio cercado de colegas com habilidades e sob risco de ser relegado a se tornar o Robin de algum Batman.

Com a ajuda dos amigos (entre eles Nicholas Braun, o primo Greg de “Succession”), Will tenta conquistar a garota mais bonita da escola (Mary Elizabeth Winstead) e proteger o colégio de uma ameaça.

“Sky High”. Disney+, 100 min. Dublagem disponível, classificação dez anos.

“Férias em Alto Astral” (1994)

Um bom filme para crianças tem que ser um pouco aspiracional. É o caso deste, que deixa para o espectador a pergunta: o que eu faria se pudesse escapar dos adultos por um verão com os meus amigos?

Mud (Jonathan Jackson) e seus amigos não querem ir para os acampamentos horríveis que seus pais escolheram, querem se divertir no calor! A turma então convence um ex-professor esquisitão (Christopher Lloyd, de “De Volta para o Futuro”) a ajudá-los a enganar seus pais e alugar uma chácara, onde possam curtir as férias sem regras. Claro que essa galerinha do barulho vai se meter em altas aventuras, né?

“Camp Nowhere”. Disney+, 97 min.

“Marcel, A Concha de Sapatos” (2021)

Este é um pouco mais melancólico, talvez melhor para crianças maiores (ou pra hora de dar aquela desacelerada).

O documentarista Dean (Dean Fleischer Camp) se muda para uma casa após o fim de seu casamento. Lá, descobre uma pequena concha de sapatos chamada Marcel (Jenny Slate), que vive sozinho com a vovó Connie (Isabella Rosselini) desde que o resto de sua família desapareceu.

Dean começa a filmar o cotidiano de Marcel, que é engenhoso e inventou várias maneiras de se mover pela casa mesmo tendo menos de 3 cm de altura. Os dois acabam se ajudando mutuamente a encarar seus problemas.

Seu grande trunfo é a dublagem original de Jenny Slate, então eu tentaria assistir à versão legendada.

“Marcel The Shell With Shoes On”. Telecine, 84 min.

“Beethoven” (1992)

Quase atrasei a entrega desta edição porque acidentalmente assisti a 25 minutos de “Beethoven” ontem. É um filme com idade o bastante pra quase todo ator fazendo um bico numa cena ser hoje “Alguém” com caixa alta: tem Bonnie Hunt (que ficou famosa nesse filme mesmo, mas depois faria “Jumanji”) e o eterno resmungão Charles Grodin (“Fuga à Meia-Noite”), mas também Stanley Tucci (“O Diabo Veste Prada”), Oliver Platt (“O Urso”), David Duchovny (“Arquivo X”), Patricia Heaton (“Todo Mundo Ama o Raymond”) e Nicholle Tom (“The Nanny”).

Coescrito por John Hughes (“Esqueceram de Mim”), conta a história da família Newton, que acidentalmente adota um filhote de são bernardo babão e entra na mira de vilões que querem o cachorro para praticar experimentos científicos nele.

Prime Video, 87 min.

O QUE ESTÁ CHEGANDO

As novidades nas principais plataformas de streaming

“Meninas Malvadas”

A versão cinematográfica do musical inspirado pelo filme de Tina Fey de 2004 chega à Paramount+. O trailer esconde, mas é um musical com músicas e gente cantando, não seja surpreendido! Com Angourie Rice (“Mare of Easttown”) e Renée Rapp (“A Vida Sexual das Universitárias”).

Paramount+, a partir de sábado (6). 112 min.

“Os Imaginários”

Rudger é um amigo imaginário que tenta sobreviver ao seu inevitável esquecimento pelos humanos. Ele vai parar na terra dos Imaginários, onde vive uma grande aventura. Animação do Studio Ponoc, criado por ex-funcionários do Estúdio Ghibli, de Hayao Miyazaki.

Netflix, 105 min.

“Pequenas Histórias com Bluey

Miniepisódios com os personagens do desenho australiano sobre uma família canina que inventa muitas brincadeiras. Sete já estão disponíveis, outros sete chegam ainda em 2024 e uma terceira leva de mesmo tamanho, no ano que vem.

Disney+, sete episódios.

“Godzilla e Kong: O Novo Império”

Sequência de “Godzilla vs. Kong”, mas neste os monstrões fazem uma “collab” (ai, que jovem). Numa trégua após os eventos do filme anterior, Godzilla cuida da Terra e dos humanos, enquanto Kong vive na Terra Oca, sob a superfície, mas uma nova e maior ameaça fará os dois inimigos juntarem forças para proteger o planeta. Com Rebecca Hall, Dan Stevens e Brian Tyree Henry. Não confundir com “Godzilla Minus One”, que está na Netflix.

“Godzilla x Kong: The New Empire”. Max, 115 min.

“Conan O’Brien Must Go”

O longilíneo e topetudo comediante americano viaja pelo mundo visitando fãs e vivendo experiências diferentes, como gravar um rap na Noruega ou jogar futebol na Argentina.

Max, quatro episódios.

VEJA ANTES QUE SEJA TARDE

Uma dica de filme ou série que sairá em breve das plataformas de streaming

“O Pacificador” (1997)

Um filme profundamente 1997, com Nicole Kidman e George Clooney tentando impedir terroristas bálticos de explodirem uma bomba nuclear roubada dos russos nos Estados Unidos. Mais notório por ter sido um desastre de bilheteria que colocou a diretora Mimi Leder na “cadeia de diretores” (tipo uma lista negra não oficial), não é tão incompetente assim e é do tempo em que Kidman ainda sabia fazer sotaques americanos.

“The Peacemaker”. Na Netflix até 31.jul. 124 min.

Link da fonte